terça-feira, 23 de agosto de 2011

A Samariquinha se inspira e divulga: Catarina Mina

Celina a esquerda com Joana

A entrevistada do mês de agosto é Joana de Paula, estilista da Catarina Mina, grife de bolsas artesanais comandada por ela e sua sócia e amiga, Celina Hissa em Fortaleza. Joana é estilista formada pelo Senai/Cetiqt-RJ com cursos no FIT NY  e já trabalhou no Rio, com marcas como Maria Bonita Extra, Canta, Animale, etc.

É com muita honra que apresento a vocês queridas leitoras, o trabalho da Catarina Mina, pois acompanhei de perto o nascimento da marca num bazar em Fortaleza. Até hoje tenho comigo uma bolsa da primeira coleção totalmente handmade. Do Ceará para as páginas das principais revistas de moda do Brasil(tem bolsa delas na Elle desse mês), você vai descobrir e aprender com a trajetória dessas duas criadoras que transformaram um hobbie em projeto de vida.
essas fazem parte da coleção Minimalismo barroco

1-De onde veio esse nome Catarina Mina?
Nos queríamos um nome que fosse nordestino mas que saísse do lugar comum, pesquisando no guia 4 rodas para uma viagem que eu ia fazer para o Maranhão, dei de cara com a Catarina Mina, escrava bela do séc XVIII que com seus dotes físicos conseguiu a liberdade e virou uma rica comerciante. Encantadas com a história e com o nome, decidimos que este seria o nome da nossa marca.

 

Essa peça está no editorial da Elle de agosto




2-A primeira coleção de vocês foi a Chita é Chic, fala desse primeiro momento (criação, confecção das peças, vendas) como e quando tudo começou.


Na primeira coleção começamos de uma forma bem despretensiosa, nós mesmas cortamos, modelamos, bordamos, apenas não costuramos. Eu e a Celina trabalhávamos separadamente e a Catarina Mina era um hobbie. Marcamos uma data e fizemos um grande bazar na casa da Celina, fizemos uma decoração caprichada e convidamos todos os amigos e parentes. Foram dois dias e vendemos quase tudo, foi um sucesso e as pessoas gostaram muito dos produtos.

3- Como se dá o processo de criação de uma coleção? Quais as fontes de inspiração que a Catarina Mina bebe? 
Começamos por uma pesquisa de tendências que e feita por mim.Como uma profissional da moda gosto de saber o que esta acontecendo para termos um start, depois ou antes já temos algumas idéias de materiais ou formatos que queremos usar. Não temos uma forma fechada de inspiração, já nos inspiramos em viagens, na paisagem do nosso ateliê, artistas plásticos , memórias do passado, a experimentação com novas texturas e materiais, com essas informações definimos o que queremos usar, cores materiais, quantidade de modelos, muitas vezes a tendência da moda é uma e vamos por outro caminho. Não temos compromisso com isso, a medida que a coleção começa a ser feita, ela também dá a direção e se transforma em outra coisa fora do que havíamos imaginado. 
Atelier Catarina Mina com vista para o mar de Iracema
 
4- A Catarina Mina é conhecida por criar coleções atemporais e abusar do artesanal, sempre com o foco na sustentabilidade.  Como se dá o processo de produção das bolsas? Aí entram as parcerias sociais?
A Catarina Mina nasceu da nossa paixão pelo artesanato e esse é o DNA da marca. Procuramos sempre trabalhar com diferentes tipologias mas uma delas, que é o crochê nos escolheu, e está presente em todas as nossas coleções. Temos artesãs que trabalham conosco no desenvolvimento das peças e neste trabalho criamos juntas, podemos chegar com um desenho e ela dá sugestões, propõe detalhes diferentes, ou podemos ver um modelo que ela fez para nós pois achou interessante e fazemos as modificações necessárias, num processo em que as duas partes são importantíssimas. Na questão da sustentabilidade procuramos utilizar ao máximo esse conceito no nosso trabalho, procurando materiais orgânicos, com um trabalho justo com o artesão, trabalhando com ONGs, utilizando mão de obra e matérias primas da região, reutilizando materiais e tendo o mínimo possível de lixo. Estamos longe de sermos uma empresa sustentável mas tentamos agregar estes valores sempre que podemos.
peça desenvolvida com couro de tilápia comprado em comunidade de pescadores

5- Vocês começaram fazendo pequenos bazares e hoje possuem um atelier, um showroom e alguns pontos de venda em grandes marcas como Daslu e Osklen.Conta um pouco dessa trajetória.

A marca já existe a 5 anos informalmente.Com o sucesso dos bazares montamos um espaco na minha casa, mas com o nascimento do meu filho Breno, precisei do espaço. Sentimmos também a necessidade de resolvermos que rumo tomaríamos, ou parávamos ou levaríamos a sério o nosso hobbie. Decidimmos então largar tudo e investirmos na Catarina Mina. Nesses meio tempo encontramos com a estilista Silvania de Deus que estava procurando um lugar e parceiras para abrir uma loja. Nossos desejos eram bem parecidos, um local aconchegante com clima de casa, nos moldes um pouco da vila madalena em São Paulo. Vieram juntas tambem as meninas da Ponto 2 Design e inauguramos a Casa das Meninas. Foi uma experiência muito boa, tanto de administração, como de mercado, ampliamos nossa clientela e entramos num projeto de moda do Sebrae. Dentro deste projeto tinha a participação nas feiras e participamos do Fashion Business, na época a feira de negócios paralela ao Fashion Rio. Neste momento começamos a nossa venda de atacado. Fomos a São Paulo e em seguida  vimos a grande aceitação das peças artesanais. Com isso resolvemos focar nosso trabalho no atacado e encerrar a loja. A partir daí fomos a outras edições do Rio-a-Porter,  viagens a São Paulo, Rio, Pernambuco e outros estados para abrir novos clientes e mercado. Fizemos contatos com grandes marcas e começamos o trabalho de desenvolvimento para algumas como: Daslu, Maria Filó, Osklen, etc. Nesses casos desenvolvemos as pecas e entregamos com a etiqueta deles, não aparece o nome da Catarina Mina. Esse trabalho é uma forma de expandirmos nosso mercado, serve também como propaganda para clientes de estados aonde ainda não somos conhecidos.

6-Fala um pouco sobre essa nova experiência com o show roon recém inaugurado?
como tivemos loja por um ano, a Casa das Meninas, em parceria com a estilista Silvania de Deus, muitos ex-clientes nos procuravam pedindo modelos que viam no site ou que não encontravam nas multimarcas que vendemos. Começamos também a sentir um pouco de falta de contato com o consulmidor final. Fomos convidadas então pela designer de jóias Marcia Hissa a dividir o espaço em que ela montaria seu ateliê. Assim surgiu a idéia do showroom que abre apenas as sextas feiras das 10 as 19 hs, assim podemos atender pessoalmente as clientes de forma personalizada. A idéia é também fazer encomendas, nos lançamentos de coleção queremos apresentá-las aos lojistas neste espaco, fazer parcerias, etc. Ele esta super fresquinho, pois inauguramos a um mês, mas já temos tido um retorno excelente. 





7- Qual é a melhor estratégia de marketing, além de um trabalho primoroso, para quem deseja seguir os passos de vocês?
Hoje as midias sociais são muito importantes, facebook, twitter, blog, site, são midias acessíveis e baratas, mas temos que ter cuidado com o conteúdo e design.A Celina é publicitária e cuida de toda nossa programação visual, do site às etiquetas. Acho que tudo tem que ser coerente com o produto, não podemos ter um produto bem feito, e o tag ruim ou site feio.Cuidamos de todos os detalhes com muito carinho. A divulgação boca a boca também é muito boa, assim você começa a ser conhecido e depois parte para outras ações. As parcerias também são muito boas nese sentido, já fizemos bolsas de brindes para desfiles e parcerias com outros estilistas. A relação com a imprensa também é importante, mandar as novidades, o que acontece com a marca. Hoje temos assessoria de imprensa em São Paulo.Isso foi um pasaso importante para nossa divulgação em outros estados, mas é um investimento para ser feito na hora certa. O importante e você começar com o que está dentro das suas possibilidades e fazer tudo muito bem feito, não adianta ter mil ações mal feitas, é melhor focar em uma só e fazer com capricho.


8-Fala sobre a nova coleção Minimalismo barroco que foi um sucesso no Rio-à-Porter 2011.
Essa coleção foi feita com a mistura dos opostos, o tecnológico dos tecidos e fios, com o barroco do artesanto, das texturas. Modelagens limpas com detalhes artesanais, corentes com crochê, cores básicas e cores fortes. Uma coleção de contrastes mas em total harmonia. Dividimos em duas linhas: Luxo e Resort, a primeira com pecas mais artesanais em materiais diferenciados, com mistura de metais, o crochê sempre presente e o personagem principal, mas o bordado a mão e a máquina também surge em bolsas a tira colo, delicadas e modernas ao mesmo tempo.A linha Resort é para praia ou cidade, design mais clean, com tecidos tecnológicos mas tambem com detalhes manuais.
Adicionar legenda




peça da nova coleção
9- Tem alguma bolsa com uma história especial que vocês criaram?
Temos um modelo que chamamos de Concha, ela foi criada a 4 anos e dizemos que e nossa Kelly bag, na primeira feira que fizemos ela foi um sucesso e na segunda nao a levamos, muito clientes perguntaram e pediram novamente o mesmo modelo.Desde então ela está presente em todas as coleções, fazemos em materiais e cores diferentes mas a de cetim, que foi a primeira, sempre está presente. Ela foi nosso primeiro modelo de croche e ficamos maravilhadas com o rsultado, é uma bolsa que demora um dia para ser feita e ninguem acredita que é crochê, além de não ter sobra de tecido, nem disperdicio é feita totalemnte à mão. Ela representa o que queremos desenvolver com o artesanato, tem design, e artesanal, sustentavel, atemporal e linda. É o nosso xodó!
Bolsa concha
 
10-Qual é o segredo de uma sociedade bem sucedida entre amigas?
Somos muito diferentes, mas o amor pelo artesanato foi o que nos uniu, trabalhamos muito bem juntas e acho que as diferenças  contribuem tanto na criação, como nas divisões de tarefas. Cada uma tem uma aptidão e tentamos usar isso a favor da Catarina Mina.  Lógico que brigamos também, mas resolvemos tudo e voltamos ao trabalho. A confiança ea amizade também são fundamentais para que a parceria dure.

11-Esse mês de agosto a revista Elle trás em um dos editoriais de moda, uma peça Catarina Mina.Qual a repercussão desse fato para a grife?
É excelente, tanto para os clientes que já temos, quanto para abrir novos clientes. Dá visibilidade a marca e faz com ela seja mais conhecida por todo o país. Assim as encomendas aumentam e também conquistamos novos clientes. Mês passado saimos na Hola e sairemos também na Quem de agosto.



Para quem for visitar a Craft design em São Paulo, a Catarina Mina estará com um espaço na feira que acontece de 25 a 29 de agosto.



Para saber mais sobre a marca e onde encontrar as peças:




3 comentários:

  1. Olá.
    Encontrei o seu blog por acaso e devo dizer que amei as suas peças. São muito lindas. Já tou seguindo voce para saber todas as novidades.
    Bjos
    Carla - Portugal

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Queria convidar para o novo sorteio lá do blog!
    Brinco CAROL GREGORI !
    http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/2011/08/quero-falar-da-nova-parceria-do-blog-o.html
    E tem mais sorteios:
    Uma blusa da Lili Davys!
    Veja aqui: http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/2011/08/lili-davys-8-sorteio-do-blog.html
    Pincel Sigma: http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/2011/06/4-sorteio-do-blog.html
    Kit Mococa: http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/2011/07/1-sorteio-mococa.html
    Kit Querido Jonh: http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/2011/08/editora-novo-conceito-6-sorteio-do-blog.html
    Tela réplica da A Noite Estrelada,de Van Gogh: http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/2011/08/7-sorteio-do-blog-tela-noite-estrelada.html
    Beijos
    Alessandra
    BLOG:EU TENHO PRESSA E MUITA COISA ME INTERESSA!

    ResponderExcluir
  3. Adoro suas almofadas e como hj é dia do blog, divulguei o seu no FAce e no Twitter!!
    bjs, vc merece!!

    ResponderExcluir